Knowledge Management in a Competitive Scenario of an Information Technology Company

Denise de Cuffa, Claudio Antonio Rojo, Emerson Antonio Maccari

Abstract


This research aimed at proposing a knowledge management plan to increase competitiveness in an information technology company. It used qualitative methodology based on a study case, which analyzed the context of internal and external environments in which Intelitech Company operates. The data collection was divided into three steps: (1) application of a questionnaire to the manager and Intelitech employees, which was composed of knowledge management practices (KMPs), aiming at obtaining previous practices from the company and therefore internal critical variables; (2) application of Rojo’s (2005) scenario simulation model in order to identify external critical variables; and (3) formulation of a proposal for KMPs improvements according to simulated scenarios and the internal and external critical variables previously identified. So, this research resulted in the development of an action plan for two scenarios: (C1) case scenario to expansion of the market, therefore the company could hire new employees and expand its physical structure o, enhance IT tools and ask for manager's flexibility towards a new culture; and (C2) also to observe an unfavorable scenario of restricted market, it would be necessary to build customers loyal order to use IT tools, as well as interact and communicate with them. Thus, it was concluded and confirmed the hypothesis that knowledge management can enhance competitiveness of an IT company.


Keywords


Competitive Scenario; Knowledge Management; Tacit Knowledge; Information Technology; IT Tools

Full Text:

Pdf/English

References


ABES – Associação brasileira de empresas de software. (2014). Mercado Brasileiro de Software: panorama e tendências. São Paulo. Disponível em: . Acesso em: 17/07/2014.

Albertin, A. L., & Albertin, R. M. M. (mar/abr 2008). Benefícios do uso de tecnologia de informação para o desempenho empresarial. Revista de Administração Pública – RAP, Rio de Janeiro, v.42, n.2, p.275-302. Disponível em: . Acesso em: 20/08/2014.

Batista, F. F. (2004). Governo que aprende: gestão do conhecimento em organizações do executivo federal. Brasília: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). Disponível em: . Acesso em: 08/05/2014.

Batista, F. F. et al. (2005). Gestão do conhecimento na administração pública. Brasília: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA).

Beijerse, R. P. (2000). Knowledge management in small and medium-sized companies: knowledge management for entrepreneurs. Journal of Knowledge Management. Disponível em:

. Acesso em: 20/08/2014.

Bem, R. M. (2009). Uma proposta de gestão da informação para a área de patrimônio imobiliário e meio ambiente de uma empresa do Setor Eletrônico, a partir da utilização da metodologia CommonKADS. 2009. 177 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia e Gestão do Conhecimento), Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC, Florianópolis.

Bethlem, A. (2004). Estratégia Empresarial: conceitos, processo e administração estratégica. São Paulo: Atlas.

Brandalise, L. T. et al. (set/dez 2012). Simulação de Cenários e Formulação de Estratégias Competitivas: o caso do Atacado Liderança. Revista Gestão e Tecnologia. Pedro Leopoldo, v.12, n.3, p.223-257. Disponível em: . Acesso em: 17/07/2014.

Boiral, O. (jun/2002). Tacit knowledge and environmental management. Long Range Planning Journal, Oxford. Disponível em: . Acesso em: 14/08/2014.

Bromberger, V. (2013). Simulação de cenários: estudo de caso nas fontes de recursos da Fundação de Apoio à Educação, Pesquisa e Desenvolvimento Científico e Tecnológico da Universidade Tecnológica Federal do Paraná campus Pato Branco. 27 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Especialização em Gestão contábil e financeira), Universidade Tecnológica Federal do Paraná – UTFPR, Pato Branco.

Bozbura, F. T. (2007). Knowledge management practices in Turkish SMEs. Journal of Enterprise Information Management, Istanbul. Disponível em: . Acesso em: 16/08/2014.

Canongia, C. et al. (mai/ago 2004). Foresight, Inteligência Competitiva e Gestão do Conhecimento: instrumentos para a gestão da inovação. Revista Gestão & Produção, São Carlos, v.11, n.2, p.231-238. Disponível em: . Acesso em: 14/06/2014.

Campos, R. R., Nicolau, J. A., & Cário, S. F. (2000). A Indústria de Software em Joinville: um estudo de caso de arranjo inovativo local. Nota Técnica, n.40.

Cavalcante, J. N. (2011). Análise das práticas de Gestão do Conhecimento em uma empresa de serviços de assessoria e educação profissional. Qualit@s Revista Eletrônica, Paraíba, v.12, n.2. Disponível em: . Acesso em: 16/07/2014.

Chaves, M. S., & Veronese, G. S. (2014). A Proposal to Manage Lessons Learned in Projects: Web 2.0 Technologies to Promote Innovation. International Journal of Innovation - IJI, 2(1), 01–17. http://doi.org/10.5585/iji.v2i1.12

Corsatto, C. A., & Hoffmann, W. A. M. (ago/nov 2013). Gestão do Conhecimento e Inteligência competitiva: delineamento de estratégias de competitividade e inovação para pequenas empresas. Revista Encontros Bibli, Florianópolis, v.18, n.38, p.19-36. Disponível em: . Acesso em: 20/08/2014.

Corso, M. et al. (2003). Knowledge management configurations in Italian small-to-medium enterprises. Integrated Manufacturing Systems. Disponível em: . Acesso em: 22/08/2014.

Cong, X., & Pandya, K. (2003). Issues of Knowledge Management in the Public Sector. Electronic Journal of Knowledge Management, Reino Unido. Disponível em: . Acesso em: 10/06/2014.

Costa, E. A. (2007). Gestão estratégica: da empresa que temos para a empresa que queremos. São Paulo: Saraiva.

Dalkir, Kimiz. (2005). Knowledge management in Theory and Practice. Oxford: Elsevier.

Darroch, J., & MCnaughton, R. (20002). Examining the linking between knowledge management practices and types of innovation. Journal of Intellectual Capital. Disponível em: . Acesso em: 27/07/2014.

Davenport, T., & Prusak, L. (1998). Conhecimento empresarial: Como as organizações gerenciam o seu capital intelectual. Rio de Janeiro: Campus.

________. (2003). Conhecimento empresarial: Como as organizações gerenciam o seu capital intelectual. Rio de Janeiro: Elsevier.

Futami, A. H., Valentina, L. V. O. D, & Possamai, O. (2012). Um modelo de Gestão do Conhecimento para melhoria de Qualidade do Produto. 18 f. Monografia (Graduação em Gestão Empresarial), Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC.

Garvin, D. (1993). Construção da organização que aprende. In: Gestão do Conhecimento. Harvard Business Review. Rio de Janeiro: Campus.

Ghemawat, P. (2012). Estratégia e o Cenário dos Negócios. Porto Alegre: Bookman.

Grapeggia, M. (2006). Habilidades empreendedoras à luz do ciclo de vida organizacional. Tese (Doutorado em Engenharia da Produção), Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC, Santa Catarina.

Greiner, L E. (1998). Evolution and Revolution as Organizations Grow. Harvard Business Review, v.10, n.4, p.397-409. Disponível: . Acesso em: 05/11/2014.

Hamel, G., & Prahalad, C. K. (2005). Competindo pelo futuro: estratégias inovadoras para obter o controle do seu setor e criar os mercados de amanhã. Rio de Janeiro: Campus.

Helmann, C. L. (2007). Retenção de conhecimento tecnológico nas organizações como fator propulsor para o processo de inovação: estudo de caso na Batávia S/A. 186 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção), Universidade Tecnológica Federal do Paraná – UTFPR, Ponta Grossa.

Holanda, A. B. (2010). Minidicionário Aurélio da língua portuguesa. Brasil.

Hoss, O. et al. (set/dez 2012). Simulação de Cenários: Estudo de caso nas fontes de recursos da fundação de apoio à educação, pesquisa e desenvolvimento científico e tecnológico da Universidade Tecnológica Federal do Paraná campus Pato Branco. Revista Ibero-Americana de Estratégia - RIAE, São Paulo, v.11, n.3, p.172-204. Disponível em: . Acesso em: 24/06/2014.

Hutchinson, V., & Quintas, P. (2008). Do SMEs do knowledge management or simply manage what they know? International Small Business Journal, Reino Unido. Disponível em: . Acesso em: 20/08/2014.

Kaplan, R. S., & Norton, D. P. (1997). Estratégia em Ação. Rio de Janeiro: Elsevier.

________. (2000). The Strategy-Focused Organization: how Balanced Scorecard companies thrive in the new business environment. Harvard Business School Press, Boston. Disponível em: http://www.businesstraining.com.mx/egaii/docs/The%20Strategy%20Focused%20Organization.pdf. Acesso em: 20/08/2014.

Kotler, P. (2002). Marketing Management: analysis, planning, implementation and control. The millennium edition. Upper Saddle River: Prentice Hall.

Lana, R. A. (out/dez 2011). Inteligência competitiva: fator-chave para o sucesso das organizações no novo milênio. Revista Inteligência Competitiva, São Paulo, v.1, n.3, p. 305-327. Disponível em: . Acesso em: 13/04/2014.

Leite, J. B. D., & Porsse, M. C. S. (2003). Competição baseada em competências e aprendizagem organizacional: em busca da vantagem competitiva. Revista de Administração Contemporânea, Curitiba, v.7, edição especial, p.121-141. Disponível em: . Acesso em: 19/07/2014.

Leuch, V. (2006). Práticas de gestão do conhecimento em indústrias de grande porte dos Campos Gerais. 2006. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção), Universidade Tecnológica Federal do Paraná – UTFPR, Ponta Grossa.

Lezana, A. G. R., & Grapeggia, M. (2002). Diagnóstico da fase do ciclo de vida organizacional. Revista Produção, v.6, n.3.

MCadam, R., & Reid, R. (2001). SME and large organisation perceptions of knowledge management: comparisons and contrasts. Journal of Knowledge Management, v.5, n.3, p. 231-241. Disponível em: . Acesso em: 18/08/2014.

Matlay, H. (2000). Organisational learning in small learning organisations: an empirical overview. Education þ Training, v.42, n.4/5, p. 202-211. Disponível em: . Acesso em: 18/08/2014.

Meihami, B., & Meihami, H. (2014). Knowledge Management a way to gain a competitive advantage in firms (evidencemof manufacturing companies). International Letters of Social and Humanistic Sciences, Ghorveh, v.3, p.80-91. Disponível em: . Acesso em: 19/08/2014.

Mills, A. M., & Smith, T. A. (2011). Knowledge management and organizational performance: a decomposed view. Journal of Knowledge Management, v.15, n.1, p.156-171.

Pereira, H. J. (2002). Bases conceituais de um modelo de gestão para organizações baseadas no conhecimento. In: Simpósio de Gestão da Inovação Tecnológica, Salvador, BA. Anais... Salvador: FIA/USP, 20 p.

Perez, J. R., & Pablos, P. O. (2003). Knowledge management and organizational competitiveness: a framework for human capital analysis. Journal of Knowledge Management, v.7, n.3, p.82-91.

Porter, M. E. (2004). Estratégia Competitiva: técnicas para análise de indústrias e da concorrência. Rio de Janeiro: Elsevier.

Purcidonio, P. M. (2008). Práticas de gestão do conhecimento em arranjo produtivo local: o setor moveleiro de Arapongas - PR. 153 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção), Universidade Tecnológica Federal do Paraná – UTFPR, Ponta Grossa.

Rezende, J. F. (2003). Balanced Scorecard e a Gestão do Capital Intelectual: alcançando a performance balanceada na economia do conhecimento. Rio de Janeiro: Elsevier.

Rojo, C. A. (2005). Planejamento estratégico. Cascavel: ASSOESTE.

Roselino, J. E. (2006). A indústria de software: o “modelo brasileiro” em perspectiva comparada. 236 f. Tese (Doutorado em Ciências Econômicas), Universidade Estadual de Campinas - Unicamp, Campinas.

Rus, I., & Lindvall, M. (mai/jun 2002). Knowledge management in software engineering. IEEE Software, p.26-38. Disponível em: . Acesso em: 20/08/2014.

Souza, A. M., & Kurtz, D. J. (jul/nov 2014). Análise de modelos para a gestão do conhecimento organizacional: o caso serviço social da indústria – SESI/PE. International Journal of Knowledge Engineering Management, Florianópolis, v.3, n.6, p.64-88. Disponível em: . Acesso em: 21/08/2014.

Stefanovitz, J. P. (2006). Criação de Conhecimento e Inovação na Indústria de Alta Tecnologia: estudo e análise de casos em uma empresa do setor de automação industrial. 192 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção), Universidade de São Paulo - USP, São Carlos.

Stewart, T. (1998). Capital intelectual: a nova vantagem competitiva das empresas. Rio de Janeiro: Elsevier.

Takeuchi, H., & Nonaka, I. (2008). Gestão do Conhecimento. Porto Alegre: Bookman.

Teixeira Filho, J. (2001). Gerenciamento conhecimento. Rio de Janeiro: SENAC.

Terra, J. C. C. (2000). Gestão do conhecimento: O grande desafio organizacional. São Paulo: Negócio Editora.

Vasconcelos, F. C., & Cyrino, A. B. (out/dez 2000). Vantagem Competitiva: os modelos teóricos atuais e a convergência entre estratégia e teoria organizacional. Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v.40, n.4, p.20-37. Disponível em: . Acesso em: 24/07/2014.

Vergara, S. C. (2008). Métodos de pesquisa em administração. São Paulo: Atlas.

Yin, R. (2009). Estudo de Caso: Planejamento e Métodos. Porto Alegre: Editora Bookman.


Refbacks

  • There are currently no refbacks.




Int. J. Innov. e-ISSN: 2318-9975

Rua Vergueiro, 235/249 - Liberdade, São Paulo - SP (Brasil), Cep: 01504-000

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional